Painel do GT no NECS, Paris, 29 de Junho – 1 de Julho 2017

Looking into ‘the Other’s Other’: the (Body) Politics of Newsreels, Amateur Films and Utility Films | Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3, 1 July,  9:00-10:45

Org.: Sofia Sampaio

Chair: Michael Cowan, University of St Andrews

Sofia Sampaio, CRIA-Instituto Universitário de Lisboa, Portugal | Moving images and embodied tourism practices: between propaganda, business and domestic filmmaking

Federico Pierotti, Università degli Studi di Firenze | The Ergonomic Vision. Olivetti’s industrial and commercial films in Italy (1960-1980)

Raquel Schefer, Université Grenoble Alpes / Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3 | The newsreel’s formal dynamics and its self-referential turn

Malte Hagener, Philipps-Universität Marburg, Germany | Different Films, different practices: Looking into the “other films” of the European interwar film avant-garde

VII Encontro Anual da AIM

Universidade do Minho, Braga

10-13 de maio de 2017

Cfp | Grupo de Trabalho da AIM: OUTROS FILMES

O Grupo de Trabalho Outros Filmes convida todos os interessados, membros e não-membros da AIM, a submeterem propostas de comunicação para o painel temático que integrará o VII Encontro Anual da AIM, que se realizará na Universidade do Minho, em Braga, de 10 a 13 de maio de 2017. As propostas deverão trazer contributos teóricos, metodológicos e/ou empíricos para a investigação de filmes marginais ou não-canónicos (filmes industriais, amadores, domésticos, experimentais, publicitários, etc.), bem como para uma reflexão informada sobre os arquivos de imagens em movimento. Para além deste âmbito geral, em linha com os objectivos gerais do GT (aim.org.pt/grupos.php) e à semelhança dos encontros anteriores, propomos também um tema específico. Aproveitando o recente lançamento da edição integral, em DVD, do Jornal Português: Revista Mensal de Actualidades 1938-1951, pela Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, o tema deste ano diz respeito aos jornais de actualidades ou cine-jornais, um dos géneros de cinema mais antigos, prolíferos e populares. Não obstante estas qualidades, as ligações que mantiveram, durante boa parte do século XX, com os regimes autoritários têm valido a estes filmes a desconfiança, senão mesmo o desprezo, dos investigadores. No extremo oposto, a facilidade com que podem ser tomados como fontes históricas ‘transparentes’ também constitui um problema. O aparecimento, relativamente recente, de estudos individualizados sobre alguns cine-jornais (o espanhol NO-DO, o argentino Noticiario Bonaerense, o Jornal Português, etc.) é encorajador. Apelamos, por isso, à apresentação de trabalhos originais, com vista a desenvolver e consolidar esta área, sob a forma de uma reflexão teórica aprofundada e empiricamente sustentada sobre este género. As propostas poderão discutir diferentes perspectivas teórico-metodológicas (históricas, sociológicas, antropológicas, dos estudos fílmicos, etc.); a relação entre os cine-jornais, a imprensa e a televisão; questões de mediação e poder; relação entre forma e conteúdo; as passagens do género entre o cinema de propaganda e o cinema engajado, etc. São particularmente bem-vindos estudos de caso originais oriundos de vários arquivos e de várias cinematografias nacionais. As propostas devem ser apresentadas em português ou castelhano, com um limite de 1500 carateres (incluindo espaços) e enviadas diretamente para as coordenadoras do GT até 15 de novembro de 2016. Só depois de notificados da aceitação no painel é que os autores deverão submeter a sua proposta no site da AIM até 30 de novembro de 2016. A aceitação final está dependente do processo de arbitragem geral do Encontro (comissão avaliadora).

 

Contactos

Sofia Sampaio: psrss@iscte.pt

Raquel Schefer: raquelschefer@gmail.com

Publicado em CFP

Sessão de lançamento da Aniki 3.2

Aniki_Editaveis_CS4

Dossiê ‘Outros filmes’, editado por Sofia Sampaio, Raquel Schefer e Thaís Blank

23 Setembro | 19h

Livraria Linha de Sombra/ Cinemateca (R. Barata Salgueiro, 39, Lisboa)

Com a presença de Sofia Sampaio e Raquel Schefer. A apresentação será seguida da projeção das curtas-metragens Jornal Português nº25 (1941) e Supermemórias (Danilo Carvalho, 2010).

 

A revista está disponível em acesso aberto aqui.

VI Encontro Anual da AIM

Universidade Católica, Porto

4-7 de Maio 2016

CFP – Chamada para Trabalhos

O Grupo de Trabalho ‘Outros Filmes’ convida todos os interessados, membros e não-membros da AIM, a submeterem propostas de comunicação para o painel temático que integrará o VI Encontro Anual da AIM, que se realizará no Porto, de 4 a 7 de Maio de 2016. Na esteira do último encontro, as propostas deverão trazer contributos teóricos, metodológicos e empíricos para a investigação de filmes marginais ou não-canónicos (i.e. filmes de utilidade; filmes amadores e domésticos; filmes em formatos considerados menores; filmes efémeros e órfãos, etc.), bem como para uma reflexão informada sobre arquivos e ‘o arquivo’. Para além deste âmbito geral, e sem prejuízo para outras temáticas e contextos que se coadunem com os objectivos gerais do GT (aim.org.pt/grupos.php), propomos para este ano o tema específico do cinema amador. Compreendemos o cinema amador como um território atravessado por diferentes gestos e imagens. Cenas da felicidade doméstica; flagrantes do acaso; testemunhas da história; espaço de criação ou de simples imitação; espelho narcísico ou arma de luta – a prática amadora acolhe as mais diversas intenções e encontra destinos variados. Se, no passado, a produção doméstica foi entendida como mero subproduto do consumo tecnológico, hoje ela é convidada a participar dos programas jornalísticos, compor os arquivos fílmicos, os documentários históricos e o cinema de arte. Diante deste cenário um primeiro questionamento: o cinema amador pode ser entendido ainda hoje como prática periférica? Como delimitar um campo de estudos constituído por gestos tão distintos? Que rupturas e continuidade podemos identificar entre os primeiros filmes amadores rodados em película e os vídeos postados nas redes sociais? Em que medida a estética amadora contaminou ou foi capturada pela chamada grande mídia? As imagens domésticas são capazes de nos revelar algo sobre a subjetividade contemporânea? As propostas deverão ser apresentadas em português, não devendo exceder os 1500 carateres (incluindo espaços). São particularmente bem-vindas propostas que apresentem estudos de caso originais oriundos de várias cinematografias nacionais e de vários arquivos. O proponente deverá enviar a sua proposta diretamente para as coordenadoras do GT até 15 de outubro de 2015. No caso de aceitação, o autor deverá então submeter a sua proposta no site da AIM até 31 de outubro de 2015. A aceitação final está dependente do processo de arbitragem geral do Encontro.

 

Contactos

Thaís Blank, thaisblank@gmail.com

Sofia Sampaio, psrss@iscte.pt

Raquel Schefer, raquelschefer@gmail.com

Publicado em CFP

Dossiê Temático Outros Filmes

CFP – Chamada de Trabalhos

Aniki: Revista Portuguesa da Imagem em Movimento

Número 3.2 (2016)

Prazo: 31 dezembro 2015

Editores: Sofia Sampaio, Raquel Schefer e Thaís Blank

 

Filmes utilitários, amadores, órfãos e efémeros: Repensando o cinema a partir dos ‘outros filmes’

Os estudos de cinema têm vindo a construir-se, em larga medida, em torno do filme de ficção, dentro de um paradigma predominantemente estético, autoral e nacional. Apesar de constituírem a maior parte da produção mundial, os filmes de não-ficção – uma categoria alargada, de metragem variada, que inclui géneros tão díspares como o filme de viagem, o filme utilitário e ‘efémero’ (industrial, turístico, educativo, publicitário), o filme de actualidades, o filme amador e doméstico e os chamados filmes ‘órfãos’ – têm sido sistematicamente marginalizados ou mesmo excluídos das várias histórias e historiografias do cinema, nacionais e internacionais. Em Portugal, a importância desta vasta produção para a sobrevivência da indústria cinematográfica não a impediu de se tornar, na expressão de Paulo Cunha, num ‘cinema invisível’ (2014). As recentes melhorias no acesso a arquivos de imagem em movimento, bem como a crítica do paradigma estético dominante, a favor de abordagens ‘historicamente mais neutras’ (Stephen Bottomore, 2001), têm vindo a encorajar a investigação deste ‘território não-cartografado’ (Daan Hertogs e Nico de Klerk, 1997), resultando num aumento significativo de publicações nesta área. Este dossiê temático da Aniki pretende reunir artigos que discutam, não apenas questões directamente relacionadas com estes filmes – como é que podem ser investigados e para quê; quais os problemas que suscitam em termos teóricos e metodológicos; como podem ser programados – mas também aspectos relacionados com o campo em si – nomeadamente, como é que a atenção a novos objectos de estudo poderá implicar novas formas de conceber o cinema e a sua história. Ou seja, como é que podemos repensar o cinema a partir dos ‘outros filmes’? Contributos vindos de áreas como os estudos de cinema, os estudos culturais, a história, a sociologia e a antropologia serão bem vindos. Será dada prioridade a casos de estudo originais e bem fundamentados, provenientes de vários arquivos e cinematografias. Os artigos recebidos serão sujeitos a um processo de selecção e de revisão cega por pares. Antes de submeter o seu artigo completo, consulte as Políticas de Secção e as Instruções para Autores.

Publicado em CFP

V Encontro Anual da AIM, 21-23 de Maio 2015

ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa

CFP – Chamada para Trabalhos

O Grupo de Trabalho ‘Outros Filmes’ convida todos os interessados, membros e não-membros da AIM, a submeterem propostas de comunicação para o painel temático que integrará o V Encontro Anual da AIM. Na esteira do último encontro, as propostas deverão trazer contributos teóricos, metodológicos e empíricos para a investigação de filmes marginais ou não-canónicos (i.e. filmes de utilidade; filmes amadores e domésticos; filmes em formatos considerados menores; filmes efémeros e órfãos, etc.), bem como para uma reflexão informada sobre arquivos e ‘o arquivo’. Para além deste âmbito geral, e sem prejuízo para outras temáticas e contextos que se coadunem com os objectivos gerais do GT (aim.org.pt/grupos.php), propomos para este ano o tema específico dos arquivos coloniais. Os arquivos coloniais constituem um terreno fértil de intersecções entre imagens, tecnologias e poder. No contexto colonial, os ‘outros filmes’ (utilitários, didácticos, amadores, turísticos, industriais) forjaram unidades simbólicas e produziram um imaginário que continua relevante para a questão das políticas da memória. Em que consiste um ‘arquivo colonial’, e como é que os vários arquivos coloniais (de Angola, Moçambique, etc.) se constituíram? Como é que o sistema colonial foi representado e construído nestes filmes? Em que termos podemos/ devemos abordar a categoria do ‘arquivo colonial’, bem como as sucessivas revisões históricas a que tem sido sujeita? Por fim, como é que o arquivo colonial se posiciona em relação a um ‘arquivo anti-colonial’, constituído por filmes engajados e militantes, associados aos movimentos de libertação? As propostas deverão ser apresentadas em português, não devendo exceder os 1500 carateres (incluindo espaços). São particularmente bem-vindas propostas que apresentem estudos de caso originais oriundos de várias cinematografias nacionais. O proponente deverá enviar a sua proposta diretamente para as coordenadoras do GT até 15 de Dezembro. No caso de aceitação, o autor deverá então submeter a sua proposta no site da AIM até 31 de Dezembro de 2014. A aceitação final está dependente do processo de arbitragem geral do Encontro.

Contactos

Sofia Sampaio, psrss@iscte.pt

Thaís Blank, thaisblank@gmail.com

Raquel Schefer, raquelschefer@gmail.com

 

Publicado em CFP

IV Encontro Anual da AIM, 15-17 de maio 2014

IV Encontro Anual da AIM, 15-17 de maio 2014

Universidade da Beira Interior, Covilhã

CFP – Chamada de Trabalhos

O Grupo de Trabalho ‘Outros Filmes’ convida todos os interessados, membros e não-membros da AIM, a submeterem propostas de comunicação para o painel temático que integrará o IV Encontro Anual da AIM. As propostas deverão trazer contributos teóricos, metodológicos e empíricos para a investigação de filmes marginais ou não-canónicos, tais como os filmes de ‘utilidade’ (industriais, turísticos, didáticos, publicitários); os filmes amadores e domésticos; os filmes em formatos considerados ‘menores’ (curtas e médias-metragens); os filmes ‘efémeros’ e ‘órfãos’, entre outros. Incentivam-se, em particular, propostas que reflitam sobre o recente interesse nestes filmes, de um ponto de vista historiográfico e teórico, a partir de exemplos concretos e estudos de caso oriundos de várias cinematografias nacionais. Outros temas poderão incluir os processos de classificação de filmes e constituição de acervos; a organização de imagens em arquivos; os usos do arquivo, etc. As propostas poderão ser apresentadas em português, inglês ou castelhano, provindo de áreas como os estudos de cinema e arte, os estudos culturais, a história, os estudos de memória e a antropologia visual, não devendo exceder os 1500 carateres (incluindo espaços). Para mais informações sobre as condições de participação, formas de contribuição e submissão de propostas, consulte a chamada online, em: http://aim.org.pt/encontro/cfp.php. O prazo para a submissão de propostas termina a 31 de dezembro de 2013.

Contactos

Sofia Sampaio, psrss@iscte.pt

Thaís Blank, thaisblank@gmail.com

Raquel Schefer, raquelschefer@gmail.com

Publicado em CFP